Seleção Oficial 2019

Sururu_Seleção_oficial_feed

Seleção Oficial

 A Mostra Sururu de Cinema Alagoano tem o prazer de apresentar a Seleção Oficial de sua décima edição. 

Carta da Curadoria

Uma década de Mostra Sururu. Celebremos! Uma década dessa janela diversa, generosa e corajosa. Nela de tudo um pouco já se viu: gêneros diversos, veteranos e novatos, filmes independentes, trabalhos oriundos de oficinas e editais. Após esse tempo de existência e resistência, não resta dúvida em dizer que a Sururu guarda parte de uma importante memória do Audiovisual produzido em Alagoas, sendo não apenas uma janela de exibição, mas também de formação de plateia para o que é produzido localmente. Sua trajetória é o registro de uma cena que todos vimos crescer, expandir-se, envolver mais pessoas, outras localidades, amadurecer.

A décima edição vem confirmar que hoje a Sururu é de todos nós. Com um recorde de obras inscritas, é diversa e múltipla, tal como a produção que vem ao longo do tempo fortalecendo sua existência. A escolha dos filmes para compor a competição oficial da Mostra 2019 foi determinada pela possibilidade de apresentar múltiplos olhares, diferentes maneiras de fazer e pensar o audiovisual alagoano. A linha narrativa inspirou-se pela diversidade regional, gêneros linguísticos, e suportes técnicos, na tentativa de comportar as várias formas possíveis de criação artística e seus processos.

Mantendo o caráter diverso, também presente em muitas outras edições, em 2019 será possível ver ficções, animações e documentários. Este último gênero segue representado em maior quantidade , o que retrata a busca de um olhar para dentro de um espaço, de uma região, sob o aspecto do próprio personagem dentro de sua percepção, sendo o cinema de um local um exercício de rever e revisitar suas personagens e suas histórias.

As ficções também se farão presentes, exibindo na tela atores veteranos e bem jovens, todos envolvidos no exercício de nos contar histórias.

A décima edição vem confirmar o relevante crescimento da produção alagoana nos últimos anos e a importante contribuição que as políticas públicas, oficinas / editais e cineclubes têm neste cenário. Há qualidade técnica, relevância temática e diversidade, para que as produções inscritas possam compor outras programações, tais como mostras paralelas, sessões em cineclubes, escolas e coletivos diversos. Para democratizar ainda mais esse acesso, esta curadoria recomenda que as obras inscritas, selecionadas para a mostra competitiva ou não, sejam disponibilizadas para exibição via portal Alagoar – A Janela do Audiovisual Alagoano, por exemplo, uma vez que o desenvolvimento da produção local passa também pela possibilidade de publicizar os trabalhos, discuti-los, expondo a diversidade do que vem sendo produzido e como.

Por fim, é tempo de fortalecer múltiplos olhares, múltiplas vozes, as artes e o nosso cinema. Este é um entendimento que ao longo de uma década vem orientando a realização da Mostra Sururu. Venha conosco fortalecer e , como dito, celebrar.

Chico Torres
Elizabeth Caldas
Nadja Rocha

Os curadores da 10 Mostra Sururu de Cinema Alagoano.

SELEÇÃO OFICIAL:

A Barca, 19min43seg, Ficção, Nilton Resende, Maceió
Alano, 22min37seg, Ficção, Silvio Leal, Maceió
Ana Terra, 20min, Documentário, Direção Coletiva, Arapiraca
Aula de Hoje, 16min, Documentário, Dário Júnior, Maceió
Caminhando e Cantando, 03min10seg, Documentário, Júlia Maria, Palmeira dos Índios
Colapsar, 12min, Experimental, Direção Coletiva, Maceió
Como ficamos da mesma altura, 17min43seg, Ficção, Laís Araújo, Maceió e Anadia
Corpo d’Água, 9min53seg, Documentário, Direção coletiva, Maceió
De água e de reza, 10min58seg, Documentário, Rodrigo Barros Gewehr, Maceió
Essas coisas de cinema, 11min43seg, Documentário, Beatriz Vilela, Maceió
Herdeiras, 7min51seg, Ficção, Robson Cavalcante, Teotônio Vilela
Ilhas de Calor, 20min, Ficção, Ulisses Arthur, Viçosa
Janela, 29min, Ficção, Daniel Milano e Michael Leite, Maceió
Lugar Comum, 2min, Experimental, Pedro Krull, Maceió
Mané, 11min20seg, Documentário, Direção coletiva, Coruripe
Mãos de Sangue, 2min, Experimental, Fabrício Medeiros, Maceió
Nas Quebradas do Boi, 21min, Documentário, Igor Machado, Maceió e Arapiraca
Nêga da Costa, 15min33seg, Documentário, Joelson de Oliveira, Quebrangulo
O Branco da Raíz, 23min44seg, Documentário, Anderson Barbosa, Marechal Deodoro
O Ebanista da Beira Mar, 4min52seg, Documentário, Celso Brandão, Maceió
O Homem das Coisas, 13min16seg, Documentário, Direção Coletiva, Arapiraca
O Poeta do Barro Vermelho, 6min, Animação, Matheus Nobre, Maceió
O que é que as Batingas tem?, 17min, Documentário, Direção Coletiva, Arapiraca
O Saldo da Guerra, 01min, Ficção, Mário Zeymison, Palmeira dos Índios
Originários, 26min, Documentário, Marcelo Amorim, Arapiraca
Percussando, 24min, Documentário, Sérgio Onofre, Maceió
Trincheira, 14min26seg, Ficção, Paulo Silver, Maceió
Vamos Ficar Sozinhas, 17min50seg, Ficção, Leonardo A. Amorim, Maceió

VIDEOCLIPES:

Ei, Mulher!, 3min10seg, Janu, Arapiraca
Flores Amarelas, 3min35seg, LoreB, Maceió
Hides in the light, 4min40seg, Mayash, Maceió
Livre, 7min54seg, Os Comparsas, Maceió
Nas quebradas do boi, 3min55seg, Tequilla Bomb, Maceió
Naturalmente Cai, 04min, Rico Jorge, São Miguel dos Milagres
Plataforma, 2min27seg, Jorg, Maceió
Rumos e Rumores, 3min25seg, Vitor Pirralho e Ney Matogrosso, Maceió
Vida de Ninguém, 4min, Pure Hate, Maceió

 

 

nov 17, 2017 | Posted by | 0 comments

Add Your Comment

Your email address will not be published.

Premium Wordpress Themes by UFO Themes