2019

Premiacao-80

CONHEÇA OS PREMIADOS DA MOSTRA SURURU – 10 ANOS 

Após uma maratona que exibiu 29 filmes e nove videoclipes, e realizou série de atividades paralelas, a Mostra Sururu de Cinema Alagoano – Edição comemorativa de 10 anos se encerrou no último domingo (15) com uma cerimônia tomada por forte comoção.

A noite teve início com uma apresentação dos membros da  Associação Brasileira de Documentaristas e Curtametragistas (ABD&C/AL), que subiram ao palco para relembrar os encontros e articulações que possibilitaram a criação do evento, em 2009.

Conduzida com muita desenvoltura pela atriz e performer Joelma Ferreira, a cerimônia reservou também espaço para uma apresentação dos representantes do Fórum Setorial do Audiovisual Alagoano (FSAL), que lotaram o palco evidenciando a atual força e representatividade da entidade.

Como tem acontecido tradicionalmente, as homenagens representaram os momentos mais emocionantes da noite. A equipe do Mirante Cineclube preparou um texto para ressaltar a generosidade de Marcos Sampaio, coordenador do Arte Pajuçara.

Na sequência foi a vez do próprio Marcão apresentar a homenagem ao crítico de cinema Elinaldo Barros, que foi ovacionado pela plateia. Em sua fala Elinaldo teve a oportunidade de compartilhar muitas de suas memórias com o público, contribuindo para a compreensão histórica do momento em que o cinema vive hoje.

A Mostra Sururu de Cinema Alagoano – Edição de 10 Anos é uma realização do Fórum Setorial do Audiovisual Alagoano e conta com produção do Saudáveis Subversivos, com patrocínio da Prefeitura de Maceió, da Algás (por meio do Prêmio Algás Social), e do Sebrae Alagoas.  O evento conta com as parcerias do Centro Cultural Arte Pajuçara, do site Alagoar, do Mirante Cineclube, da Casa Sede e da Escola Técnica de Artes da Ufal. Além do apoio cultural da Universidade Estadual de Alagoas.

A comissão de seleção foi composta pela roteirista e educadora audiovisual  Elizabeth Caldas, pela pesquisadora e realizadora Nadja Rocha, e pelo crítico de cinema, cineclubista e mestre em filosofia Chico Torres. Em carta, a curadoria comenta o resultado do trabalho.

O júri oficial da mostra, que concedeu os prêmios, é  composto por Luciana Oliveira, mestre em cinema e narrativas sociais pela Universidade de Sergipe, cineasta e co-idealizadora do Egba – Mostra de Cinema Negro de Sergipe; por Daniela Fernandes, produtora executiva e co-fundadora do NordesteLab, plataforma de articulação audiovisual que acontece anualmente em Salvador/BA; e por letícia santinon, que atua na área de curadoria e programação de cinema, com passagem pela distribuidora vitrine filmes. Atualmente é responsável pela gestão e programação do circuito spcine e spcine play.

 

PREMIAÇÃO

Filme: Ilhas de Calor, de Ulisses Arthur

Direção: Direção coletiva de Ana Terra

Roteiro: Paulo Silver e Rafhael Barbosa, por Trincheira

Fotografia: Rita Moura, por Branco da Raiz

Som: Tambor ou Bola

Montagem: Glauber Xavier, por Nas Quebradas do Boi

Direção de Arte: Nina Magalhães, em Trincheira

Atuação: Victória Tenóryo, pof Ilhas de Calor

Menção Honrosa: Ana Terra, or Ana Terra

Olhar Crítico: Colapsar, com direção coletiva

Júri Popular: Ana Terra, de Direção Coletiva

 

JUSTIFICATIVAS

 

ATUAÇÃO

O prêmio de melhor atriz considerou, para além de uma interpretação de excelente qualidade, a energia e empatia transmitida na tela, trazendo para o filme a vitalidade de uma cena alagoana pulsante e inventiva. Por esses motivos, o júri decide premiar Vyctoria Tenoryo como a melhor atriz da 10 Mostra Sururu.

E uma menção honrosa para Ana Terra.

 

DIREÇÃO

Uma personagem forte e irreverente. As nuances de uma cidade do interior de Alagoas em falas que marcaram uma vida. Mas esse texto não é sobre a personagem.

Cinema é equipe, é coletivo, é construção. a ideia da direção em cinema, historicamente focada na figura individual que pensa e executa o filme a partir da sua genialidade, vem sendo revista atualmente. felizmente. assistir tantos filmes com direções coletivas, demonstra que o cinema é vivo e que nenhum conceito é definitivo. felizmente. diante de direções coletivas executadas com qualidade, o júri decide premiar o filme Ana Terra como melhor direção da 10 mostra sururu.

 

FILME

Entrar no universo escolar é revisitar um período em que vivenciamos momentos de dores internas pela construção de nosso ser e pelas relações com os outros. No silêncio do olhar e na força poética da palavra, Fabrício nos diz o que queima dentro.

O prêmio vai para Ilhas de Calor.

dez 17, 2019 | Posted by | 0 comments

Add Your Comment

Your email address will not be published.

Premium Wordpress Themes by UFO Themes